terça-feira, 7 de setembro de 2010

Por completo

Gosto de ti por completo.
Senão não ia gostar de fato.
Gosto de ti porque você é ti.
E a ti não existe mais ninguém igual...
Gosto de ver você sorrir...
E me debruço na janela do sol
Só pra te ver.
Risco traços nas estrelas
Só por imaginar teus olhos.
E a brisa que acorda meu rosto,
Sempre me traz um pouco do seu cheiro.
Gosto de ti
Pelo o que tu és.
Gosto de ti por completo.
Cada movimento seu...
Faz-me nascer de novo.
Faz-me sorrir de novo.
E o gosto que é tão amargo...
Torna-se tão doce.
Já que tu és o que és
E eu gosto disso
Nada alem disso.
Desde o toque ao cheiro.
Desde o canto ao corpo.
Desde tudo o que me completa.
Gosto de ti por completo...
E já não sei viver sem você.
Eu sem você seria quase,
Quase uma rosa sem o espinho.
Ou
Quase o moinho sem o vento.
Pois a rosa não fica completa
Sem o espinho.
Sem o espinho, a rosa apenas existe.
Nem o moinho não fica completo
Sem o vento.
Sem o vento, o moinho apenas existe.
E assim
Fico eu
Se você não está por perto,
Ou se não te tenho.
Eu apenas existo.
Torno-me incompleto.
Mas sorte a minha.
Hoje eu te tenho
E me sinto
Completo.




Jeferson Guedes

2 comentários:

  1. sem o espinho a rosa apenas existe, mas não machuca.
    =*

    ResponderExcluir
  2. Faz sentido, Lê... E eu fiquei pensando nisso.

    ResponderExcluir